segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

“Cadê meu presente?...”


“Cadê meu abraço ou meu beijo?...” Esta seria a mais linda pergunta que eu gostaria de ouvir, em especial nesta época do ano.

Todos nós gostamos de receber um presentinho no Natal. Mas quando chegamos ao ponto de usar praticamente todo o mês de dezembro pensando em ir ao shopping, às lojas ou ao supermercado para comprar tudo o que pudermos para agradar nossos amigos, familiares e nossos filhos, que não param de perguntar “cadê meu presente?” até a meia-noite do dia 24, alguma coisa parece estar fora de controle...

Tenho saído às ruas e visto centenas de pessoas se esgoelando no trânsito e andando nas ruas cheias de pacotes e sacolas, vendedores nas portas das lojas “intimando” as pessoas a entrar, promoções “compre agora, compre, compre...”

Bem, nesta terça-feira finalmente estaremos fazendo a Ceia de Natal. Alguns sozinhos, outros cheios de familiares, algumas casas estarão lotadas de presentes, outras talvez não. Só que, como não mudamos nossos hábitos, infelizmente muitas pessoas vão estar medindo a felicidade de seu Natal pelo tanto que vão ganhar ou comer...

É sempre bom lembrar que esta data comemora o nascimento de Jesus. E a única coisa que ele pediu a todos nós foi a humildade, a caridade e o amor ao próximo.

Desejo um Feliz Natal a todos, com muitos beijos e abraços!

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Campanha “Bola do Bem”: passe essa bola pra frente!


Já faz um bom tempo, assisti ao filme “A Corrente do Bem”. Na estória, um menino de 12 anos cria o seguinte desafio para si e para todos ao seu redor: conseguir fazer para três pessoas, sejam elas quais forem, algo muito especial, algo que elas não conseguiriam fazer por si só e, daí pra frente, essas pessoas fariam por mais três pessoas o mesmo, e assim por diante. Não vou contar o resto do filme, senão perde a graça...

Bem, depois que o filme terminou, tive, mais uma vez, a certeza de que o mais importante não é ganhar ou perder, mas, sim, viver e ajudar àqueles que estão sem rumo a tentarem novamente. Porém, não adianta dar o “peixe” e, sim, a “vara de pescar” – e, mais importante, com muito amor e carinho.

Todos nós sabemos que o dia a dia é uma das tarefas mais delicadas da nossa vida. Surgem dificuldades, angústias, felicidades e acasos inesperados. Assim é a vida, feita de cada segundo e de cada minuto que passa.

Que tal experimentar? Observe uma, duas, três ou mais pessoas as quais você acha que poderia realmente ajudar a viver de verdade. Passe “essa bola pra frente”, vale a pena!